domingo, 5 de fevereiro de 2012

Capítulo 2012. Página 37 de 366.




 - Carta para o namorado
06/02
Complicado. Comecei meu capítulo escrevendo sobre um alguém que não mais possuía, mas que ainda me fazia pensar, repensar, escrever, chorar, pedir. Comecei esse capítulo com você ao meu lado tentando-me fazer esquecer, inconscientemente, cego, desprovido da verdade. Dei-me e dei-te a chance de mudar tudo, de fazer de mim, o que sempre fui. O que sempre esperei ser. E fizestes. Fizestes em tão pouco tempo o que não acreditava que conseguirias fazer nem em um ano. Mas fizestes. Acordei pensando em você, em como te ver chegar na minha faculdade sorrindo era a coisa mais linda do mundo; em como ouvir seu sorriso solto me fazia sorrir; em como estar nos teus braços me acalmava, me tranquilizava, fascinava. Passei a acreditar em mim, em você, em nós. Você tirou de mim o que ninguém conseguiu tirar em 100 anos, em 1 século, em 1000 vidas que  se resumiam  ali, aqui, acolá. Que só existiam nos meus pensamentos. Você chegou e me fez ver que quem quer, procura. Que quem ama, cuida. Quem deseja, luta. Então, por favor, procure por mim quando eu me perder. Me cuide quando mais ninguém puder cuidar. Lute, quando eu não tiver mais forças para o fazer por nós. Só não desista. Só não corra. Não faça o que todos eles fizeram, não me deixe como todos eles me deixaram, não leve para si o que é meu, como todos eles levaram. Me traga, me troque, me acrescente, me transborde... Eu sei que você pode! Só não desista de mim, porque eu não vou desistir de você. Aprenderei e esperarei com toda a minha fé, conviver e aceitar teus defeitos, tuas qualidades, tuas insanidades... Prometo te cuidar, te guardar, te amar. Eu prometo ser e ficar por ti, por tudo que és e me representa. Ficarei na chuva, no sol, na tempestade, na calmaria. Eu prometo ficar do teu lado em todos os momentos, sejam eles felizes ou tristes. Só prometa que não vai desistir, que eu te prometo o céu e o que mais vier com ele. Só não desista.

Pra você Pedro, da Mayara da página 37.

Capítulo 2012. Página 36 de 366.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Capítulo 2012. Página 35 de 366.

“meus amigos me adoram. mas será que eles sabem que se eu estou morrendo de rir agora, mas daqui a pouco vou morrer de chorar? e isso 24 horas. e eu, mais uma vez, olho para o lado morrendo de saudade dessa coisa que eu não sei o que é. (…) a cada semana sem dor que eu pulo, pareço acumular uma vida de dor. preciso parar, preciso esperar. mas a solidão dói e eu sigo inventando personagens. odeio minha fraqueza em me enganar. (…) é tudo pela metade, ao menos a minha fantasia é por inteiro… enquanto dura. no final bruto, seco e silencioso é sempre isso mesmo, eu aqui meio querendo chorar, meio querendo mentir sobre a vida até acreditar. e aí eu deito e penso em coisas bonitinhas. e quando vou ver, já dormi.” 

Tati Bernardi.


Esperamos muito por algo, por alguém, que muitas vezes não correspondem as nossas expectativas. Será isso um sinal para avisar que olhamos e esperamos tempo demais por algo errado, que na verdade, não deveria ser nosso? Não sei. No momento me sinto impotente, incapaz... Apenas perdendo quem sempre está ao meu lado, por quem desejo que ocupe esse lugar. Deus, dai-me sabedoria, Senhor!  Que eu não machuque, que eu não seja machucada, amém.

Capítulo 2012. Página 34 de 366.

As palpitações acabaram. O pânico. O medo. Meu Bem voltou e trouxe com ele a minha tão graciosa paz.  Agora caberá ao nosso "querer" o que há de vir. Fé e força. Amém.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Capítulo 2012. Página 31 de 366.


‎Às vezes é preciso dormir, dormir muito. Não pra fugir, mas pra descansar a alma dos sentimentos. Quem nasceu com a sensibilidade exacerbada sabe quão difícil é engolir a vida. Porque tudo, absolutamente tudo, devora a gente. Inteira.
Unknown

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 30 de 366.

A força de uma pessoa não é medida pelo quantidade de socos que ela leva antes de cair, pela quantidade de peso que ela levanta, pelo tamanho dos seus músculos. A força de uma pessoa é medida pela quantidade de vezes que ela levantou, pela quantidade de tristezas que ela aguentou, pelo tamanho do seu coração. A força de alguém não é medida pelo quanto ela destrói, mas pelo quanto ela constrói. A força de alguém não é medida pelo quanto ela grita para ser escutada, mas pelo silêncio, lípido e lacrimejante, de quando para de falar.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 29 de 366




Os anjos, os loucos, os poucos e poetas. Os amantes, os amados, os esquecidos e rejeitados. Se o céu é o mesmo pra todos e a rotação da Terra nunca muda a direção, quem explica então, por que as sortes diferem tanto? Acordei do lado errado da vida no meio da noite e era dia. Talvez o mundo não seja assim, tão certo e constante. Não vou me desculpar por minhas vontades desencontradas e nem por não olhar para os dois lados ao atravessar a rua.Talvez amor não seja assim, tão puro e nem as pessoas tão iguais. Mendigos ainda disputam espaço no chão do meu quarto e vagabundos ainda me dedicam canções de amor. Depois da festa só resta a bagunça e diante do medo, a coragem é uma criança fujona. Não vou me desculpar por não saber amar e nem vou aprender a lidar com a falta. Dedico um quarto de segundo à saudade e vou embora sem me despedir para não correr o risco de me repetir. Viver não é simples, nem triste e nem carece tanto desespero por mais de um dia. Doer é bom, faz acordar se dando conta de que está vivo e que essa máquina que mora no peito ainda funciona. Mas hoje eu acordei do lado errado da vida e nem sei como vim parar aqui.

Daniella L. (flor-de-papel)


E mesmo prometendo fazer tudo-melhor-dessa-vez, a gente fracassa, tropeça, afunda. O poço parece não ter fim, mas eu não tenho medo do impacto ao chegar ao seu fundo, rezo todo dia para que me sirva de impulso, fazendo-me voar através de tudo e todos que me trouxeram aqui. Mas uma vez a vida me ensina que minha única e eterna companhia é Deus. Amém.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 25 de 366



E de repente eu vi a gente de mãos dadas, dando risada sem pensar…
                                                      Forfun  

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 24 de 366


Escrevo para não ficar só. Para não enlouquecer. Para não deixar você tomar conta de mim. Sempre digo "dessa vez vai ser diferente, vou devagar", mas nunca consigo. Sentimentos têm essa mania louca de invadir o nosso corpo e alma quando bem querem e de um dia pro outro você se vê apaixonado, louco, torturado. E é por isso que eu escrevo. Jogo nessas páginas todas as minhas angustias e sentimentos loucos, que hora querem branco, hora amam preto. Escrevo sem saber se é do avesso, se é certo, se tem ponto de interrogação ou de exclamação... Mas escrevo. Porque não escrevo para que me entendam -nem eu mesma consigo isso- , escrevo para que sintam o que sinto, para que amem o que amo, para que me amem, me admirem, me odeiem. Eu só preciso de alguém que passe os olhos por minhas páginas e sinta, me sinta, se sinta. Eu escrevo para a dor, para o amor, para a vida. Eu escrevo pra você.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 22 de 366







Um ‘A’ no início e o mar fica maior.
   






(Pedro Pondé)

Capítulo 2012. Página 21 de 366


O dia todo me passou pela cabeça a ideia de que os homens são como os dias da semana. Temos o "homem-segunda-feira" que é aquele parado, tedioso, tá sempre fazendo as mesmas coisas, causando em nós mulheres pura repudia; Temos o "homem-terça-feira" que nos dá a ideia de recomeço, mas que na verdade é a mesma merda da segunda; Aí vem o "homem-quarta-feira" que causa uma boa impressão, parece decido a ir em frente, mas na verdade é um eterno em-cima-do-muro, meio-termo, meio-nada; Já o "homem-quinta-feira" é aquele sempre preparado para tudo, tá aí para o que der e vier, sempre com disposição para enfrentar os outros dias, mas, infelizmente, não se compara ao "homem-sexta-feira" que é sempre alto astral, divertido, decidido e que vive intensamente cada segundo das suas 24 horas; Mas ainda temos o "homem-sábado" (que nunca deixa de ser uma boa escolha), que é o calmo, que gosta de ver filme abraçadinho na chuva, faz carinho e cafuné, mas que ainda gosta de uns "agitos" vez ou outra; E finalmente chegamos ao "homem-domingo"... SEMPRE COMO O FAUSTÃO: Gordo, chato, falando sempre as mesmas coisas, nunca escuta o que os outros falam e, sério, não tem nada de empolgante ou construtivo... É sempre mais válido pedir a morte.

Capítulo 2012. Página 20 de 366

Esperar menos, não significa desistir. Antes se surpreender, do que se decepcionar.

Clarice Lispector.


Sexta-feira divertida e cheia de risos á toa. Pedro (O Bem) pegou uma virose e tá em casa de cama :~ Passei a noite na casa de Dé com os amigos e umas doses de "quero-mais".

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 19 de 366


Quero deitar no sofá e ver você cuidar das plantas, escolher a playlist no ipod e dobrar as roupas esquecidas em cima da cama. E que, sem mais nem menos, você desista da arrumação, me jogue sobre a bagunça, me beije e me abrace como nunca fez antes com outra pessoa.

Tati Bernardi


Tô agradecendo todos os dias ao meu Deus por ter escolhido seguir o teu caminho. Nos últimos dias e meses é o que tem me feito sorrir, dormir, sonhar. És, nos últimos tempos, o motivo dos meus sins e dos meus melhores nãos, e não me passa pela cabeça abrir mão disso nem por todo dinheiro do mundo.


Capítulo 2012. Página 18 de 366



Há preconceito contra nordestino, há preconceito com o homem negro, há preconceito com analfabeto, mas não há preconceito se um dos três for rico.

                                          Criolo.

Capítulo 2012. Página 17 de 366


A minha alegria já tá virando clichê e eu já estou ficando com vergonha de sempre falar a mesma coisa... De como meus dias estão sendo bons, de como estou feliz, das agradáveis surpresas de cada página que me vejo a escrever, a ser, a ver. É complicado viver conformado com aquela ideia de que não se pode ter tudo ao mesmo tempo, como inspiração e amor, amor e respeito, segurança e confiança. É engraçada a vida que sempre deixa um espaço vazio nas nossas escolhas, na nossa alma. Claro que você entende como é. Como quando você está namorando e senti inveja das amigas que podem ir a qualquer lugar, ou quando você escolhe o sabor morango mas vê que a sua coleguinha se lambuza mais com o de chocolate; quando você faz de tudo pra que aquele garoto te olhe, e quando ele olha você passa a não querer mais, mas querendo, mas desentendendo, mas sendo, mas sem saber o que é. Fomos criados para aprender a viver sem algo, sem alguém e mesmo assim sorrir. Não há lugar para tudo nesse mundo e nossas vidas não podem entristecer-se por um pedaço de quebra-cabeça faltante. A falta é sagaz. Dá força, dá fé, dá coragem. E é pela "falta-de-alguma-coisa-ou-algum-alguém que vivemos, que lutamos, que continuamos.

A falta nos faz.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 16 de 366

Ela reescreveu e releu algumas tantas vezes e ainda sim não conseguiu escrever uma palavra se quer. Não era falta de coragem, mas sim falta de certeza. Talvez não estivesse na hora de colocar o coração a mostra, e ao se sentir assim, a menina guardou todos os sentimentos dentro de si e se fechou por completo. Por medo talvez… Insegurança. Quem é que sabe?

Manoela Meinke.


As férias estão me deixando louca, só faço dormir e não consigo mais produzir uma linha sequer :~ Deve ser esse mar raso e sem ondas violentas ninando meus neurônios, seduzindo-os e impedindo-os de aflorar.
Beijos e Boa noite.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 15 de 366


É claro que os sentimentos mudam. As pessoas fazem com que isso aconteça.
Querido John 


Acabei descobrindo logo na página 15 como faz bem dar uma nova chance para o coração. Não me arrependo das últimas atitudes e muito menos das consequências que elas andam me trazendo. Espero, com toda a fé que carrego no peito, um dia ser digna de tudo o que recebo.
Beijos e boa noite.


Capítulo 2012. Página 14 de 366




Assinei um contrato com a felicidade. Na última cláusula está escrito em negrito: ”Prometo ser feliz, acima de tudo, não importa o que isso me custe.
Aghata Paredes



O dia hoje foi meio conturbado e cheio de emoções. Graças a Deus tudo deu certo e agora posso dormir com a cabeça tranquila. Na primeira foto estão persentes os queridos que me fizeram companhia no Luau e que me retiraram do poço dessa página :) e na segunda encontra-se o meu Bem, que a partir de hoje, pela definição universal social, é meu NAMORADO.
Beijos e uma boa noite.




sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 13 de 366



Se eras tu a minha promessa de futuro brilhante, por que não ficaste? Por que não fizeste de mim a tua morada? Diga-me, como pode algo durar quando começa errado? Diga-me porque mal sei de mim. Quanto mais penso, mais absurda me parece essa ideia de auto-suficiência. Parece coisa de poeta, que prefere assistir a vida como um espetáculo do qual nunca participa. Coisa mais triste é esse vício de solidão. Às vezes penso que me destino a isso. Meus passos são largos e caminham para o fim – o nosso fim. Acho que não me encaixo, não caibo nesse espaço, não pertenço a esse lugar. Quanto à ti, pela primeira vez na vida achei que poderia dar certo. Mais uma vez, me provo enganada. Tu te fostes e só ficou a lembrança de mais alguém que partiu de mim. Não é meu papel cobrar-te o que não deves e quero mais é que tu sejas feliz. E que tua alma nunca se entregue a essa abstinência de vida. Porque eu sinto, meu bem. Eu sinto. E dói.
Descuidada.


E o meu tão esperado dia chegou. Não vou mais te cobrar, me cobrar, nos cobrar... Acabou. Que o tempo resolva o que até nossos neurônios unidos não conseguiram resolver. Só quero que você seja feliz. Só. E se pra isso eu tenho que te deixar partir, que seja. Já prometi 50 vezes que era a última vez que te escrevia, que te chamava, que te ligava, mas dessa vez, dessa vez, é verdade. Essas mal traçadas linhas são as últimas que escrevo sobre ti, prometo. Mas fique ciente, por favor, meu amor, não esqueça nunca, que sempre, para sempre, minhas páginas são tuas, todas tuas. Terá sempre folhas em branco a serem preenchidas por você. Quando quiser, a hora que quiser... Volte-me.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 12 de 366

Capítulo 2012. Página 12 de 366



Todos os dias, logo cedo dou uma piscadinha para Deus e peço: tomara que as nossas vontades coincidam. E se não coincidirem… que a sua prevaleça.
Caio Fernando Abreu


Agradeço todos os dias por pensar assim. Deus é mais e sempre sabe o que nos dar e o que retirar/reciclar.


Capítulo 2012. Página 11 de 366

Mulher não desiste, se cansa. A gente tem essa coisa de ir até o fim, esgotar todas as possibilidades, pagar pra ver. A gente paga mesmo. Paga caro, com juros e até parcelado. Mas não tem preço sair de cabeça erguida, sem culpa, sem ‘e se’! A gente completa o percurso e às vezes fica até andando em círculos, mas quando a gente muda de caminho, meu amigo, é fim de jogo pra você. Enquanto a gente enche o saco com ciúmes e saudade, para de reclamar e agradece a Deus! Porque no dia que a gente aceitar tranquilamente te dividir com o mundo, a gente não ficou mais compreensiva, a gente parou de se importar, já era. Quem ama, cuida! E a gente cuida até demais, mas dar sem receber é caridade, não carinho! E estamos numa relação, não numa sessão espírita. A gente entende e respeita seu jeito, desde que você supra pelo menos o mínimo das nossas necessidades, principalmente emocionais, porque carne tem em qualquer esquina. Vocês nem sempre sabem, mas além de peito e bunda, a gente tem sentimentos, quase sempre a flor da pele. Somos damas, somos dramas, acostumem-se. Mulher não é boneca inflável, só tem quem pode! Levar muitos corpos pra cama é fácil, quero ver aguentar o tranco de conquistar corpo e alma, até o final.
Tati Bernardi



É lendo esse texto da Tati Bernardi que eu percebo o quanto nós mulheres somos suicidas. Temos o nosso sexto-sentido que nunca nos deixa na mão e tá sempre nos alertando para os barcos furados, mas não, metemos a cara, vamos fundo, acreditamos que temos a força de mudar, e quem acaba mudando, no final, somos nós.  Cada vez mais cheias de aprendizados, mas em compensação, cada vez mais cheias de mágoas e feridas.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 10 de 366

Quero ver você me amando na TPM, quando até o seu ‘eu te amo’ mais lindo me deixa irritada. Quero ver você me amando quando eu ficar quieta do nada, quando a tristeza bater em mim, mesmo sem motivo. Quero ver você me amando quando eu for grosseira, estúpida, quando eu te ferir com as minhas palavras, mesmo que sem intenção (o que acontece quase sempre). Quero ver você me amando depois d’eu voltar daquela festa toda feliz enquanto você passou o dia em casa, emburrado comigo. Quero ver você me amando quando nem eu mesma for capaz de me amar.
Neray


Tô me sentindo tão feliz nessas primeiras páginas que tô começando a ficar com medo do que ainda está por vir (risos). Ri quando li o texto de Neray, até porque quem me conhece sabe que é minha cara. Mas será que podemos encontrar um amor assim? Acho pouco provável, alguém com tamanha paciência, se existir, não deve ser desse universo. Beijos.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 9 de 366





E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.”  (Friedrich Nietzsche)

  





Capítulo 2012. Página 8 de 366



Sinta-se agradecido. Verdadeiramente agradecido. Por tudo o que você tem hoje. Por tudo o que você é. Seja honesto com seus sentimentos.





Porto ficou pra trás e agora é voltar para nossa realidade de cada dia. É isso. Beijos.

Capítulo 2012. Página 7 de 366








Acordar cedo com as amigas e pegar a estrada em direção a paz. Porto de Galinhas foi o meu destino de hoje junto com Camila, Ísis e Priscila. Chegamos cedo, montamos as nossas barracas, pegamos um sol, rimos, conversamos... Já sabe, né? Amigas, praia e cerveja sempre rendem bons papos e muitas orelhas vermelhas (risos). Encontrar os amigos, encontrar o Bem, rir até dar dor no estômago, entrar na nave, sair da nave, tomar banho de mar acompanhado de bons caldos... E no fim, sentir falta de alguém, de alguma coisa. Como diria meu querido Caio Fernando de Abreu: "Alguma coisa sempre nos falta..." E guardo essa frase como quem guarda uma pedra preciosa. Sempre tem aquela hora entre um sorriso e outro que lembramos de quem nos falta, não é verdade? E foi em você que eu pensei. Me vejo no lugar que você sempre ocupou, o do "aguardando respostas", e mais do que nunca, entendo tudo que passastes e os motivos de como reages as minhas tentativas de toques de todos os dias. Pedi ao mar e a Iemanjá que me desse forças para te deixar partir, que me desse forças para seguir o meu caminho, o qual Deus anda deixando bem habitado. Que ambos escutem minhas preces, amém.

Capítulo 2012. Página 6 de 366






Fui conhecer o Zoo hoje. Minhas queridas amigas me serviram de guia e me fizeram morrer de rir. Produtivo. 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 6 de 366





"Alguém me ensina a pensar menos nele? Alguém me ensina a não repetir centenas de vezes à mesma cena na cabeça? E não fazer dessas lembranças o meu maior martírio? Porque dói, dói muito pensar que há pouco tempo eu estive inteira com ele e o deixei partir, assim, sem insistir, sem nem um “fica mais um pouco?”. É possível não sentir esses arrepios ao lembrar-me do possiível toque, do possível cheiro, do possível beijo dele? Ah, eu daria tanta coisa para que aquele anjo estivesse aqui comigo agora, hoje, amanhã, sempre. Eu daria tudo pra vê-lo sorrir mais uma vez pra mim, mas quando estou com ele fico tão pequena, entrego-lhe o que ainda me resta, ele vai embora e eu fico aqui, me sentindo incompleta, me sentindo um nada, sobrevivendo apenas de migalhas da minha memória."
(Caio Fernando Abreu)


Já não sei disfarçar a falta que você me faz. O "novo" começa a fazer diferença na minha vida e eu fico cada dia mas desequilibrada, tonta, torta. Já não sei se me prendo ao passado ou se me liberto para o futuro que assim como eu, é imprevisível. Mando recados de socorro, mas ninguém escuta. Que Deus me liberte de você, amém.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 5 de 366

Ando um pouco impaciente. Não sei se um dia cheguei a ter alguma paciência, acho que não. Mas ando impaciente com a vida e com as pessoas. As coisas demoram pra acontecer. E eu tenho tanta pressa.
(Clarissa Corrêa)

Capítulo 2012. Página 5 de 366

Capítulo 2012. Página 5 de 366

"Felicidade vem como sopro, e voa como andorinha."

Me culpo as vezes por não prestar atenção nas coisas óbvias da vida onde a felicidade se esconde. Me maltrato, me atormento e perco novamente mais uma chance. Fico tentando lembrar quais momentos em minha vida tive a sabedoria para notar tamanha preciosidade, mas não adianta, minha memória é seletiva e só arquiva o que lhe convém. Mas, de todas as vezes que as deixei passar despercebida (ou não), eu jamais esqueço. Essas, cérebro, corpo e alma fazem questão de salvar, tatuar, marcar. É engraçado como velhos clichês realmente se aplicam a nossa vida "real", como aqueles que afirmam que " As vezes olhamos tanto para uma porta que se fechou, que não notamos a janela que se abriu".  Mas, será mesmo que não notamos ou é a coragem de tentar novamente que nos falta ? Tá aí uma coisa da qual jamais serei capaz de me perdoar: TER PEDIDO VOCÊ, TER PERDIDO O ÔNIBUS, A VIAGEM, A VOLTA AO MUNDO, O EMBARQUE... ou qualquer coisa que tenha perdido pela minha falta de coragem! Mas é vivendo e aprendendo, e é por isso que não fujo mais. Agora, se preciso,  pulo janela, arrombo porta, explodo paredões sem nem pensar duas vezes. Se a felicidade vem como sopro, e voa como andorinha, a partir de hoje criarei asas para segui-la. 


(A insônia vive me atormentando, não me deixa dormir ou pensar. Tenho que voltar ao médico hoje para retirar o aparelho cardiológico que puseram em mim. Deus me dê coragem!)

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 4 de 366

04:43De todo o minimalismo, clichês e letras de música… De toda a minha literatura, você ainda é a minha melhor página.
-Martha Medeiros.

Capítulo 2012. Página 4 de 366



04:25Tô me afastando de algumas pessoas, não porque eu quero, mas sim porque é preciso, preciso entender o que eu sou e quem eu quero ser.

Capítulo 2012. Página 3 de 366



Graças a Deus encontrei a alegria logo na terceira página desse meu novo capítulo. E nada melhor do que vê-la chegando de mãos dadas com meus amigos e suas risadas sem explicação. "Alegria compartilha é alegria redobrada" como já disse alguém importante. É uma pena que nem todos pensem assim! 
Boa noite!

domingo, 1 de janeiro de 2012

Capítulo 2012. Página 2 de 366







Capítulo 2012. Página 2 de 366

"Retrucou ela, rindo, também.
- Saiba, pois, que sou muito senhora da minha vontade, mas pouco amiga de a exprimir; quero que me adivinhem e obedeçam; sou também um pouco altiva, às vezes caprichosa, e por cima de tudo isso tenho um coração exigente. Veja se é possível encontrar tanto defeito junto!" (Machado de Assis)





É estranho ser a "Sra. dos conselhos" e não conseguir guiar a própria vida. Ele ficou em mim de um jeito que eu não tenho como expressar. Não sou dessas que acha que vai amar pra sempre, que ninguém nunca vai me fazer sentir isso-e-aquilo novamente. Mas agora não dá. Invisto em um "relacionamento" que não preenche, não dá jeito. Insisto em algo que já tá previsto pra ser "desastre" na manchete do jornal do dia seguinte. Pergunto à Deus todos os dias o que fazer, como prosseguir tentando ao máximo não me magoar ou magoar alguém. Tento transferir carinhos intransferíveis e me pego cometendo o mesmo erro: fazendo o novo de boia para não me deixar afundar com o velho.  Rezo para que não afundemos todos juntos, passado, presente e um futuro que só Deus dá jeito.

Capítulo 2012. Página 1 de 366

E então o tão esperado "dia do renascimento" chegou. Mas você, que pena, não chegou com ele! Tenho mais 365 páginas para discorrer esse meu novo capítulo. Espero encontra-lo em alguma linha, ou frase, quem sabe até em um breve texto, perdido. Até lá. A gente se lê.

Novo Capítulo.

E sempre que um ano termina, outro (logicamente) se inicia. Ouvimos aquela velha história de "é hora de recomeçar" onde alguns mudam e outros permanecem na mesma mesmice de todos os anos que se passaram. Não posso vim aqui e fazer desse blog um diário de recomeço. De promessas disso-e-aquilo. Farei dele meu esconderijo para desabafar e jorrar as novas páginas desse novo capítulo que me foi dado. 2012 é o capítulo desse ano, e meus dias e suas surpresas minhas mais novas páginas, limpas e brancas. E que inspiração, fé e força sejam palavras primordiais aqui.


Aguardarei com fé, páginas preenchidas de felicidade e aprendizado.